Especialistas desmentem boato de inverno mais rigoroso dos últimos 100

(Foto: Google Imagens )

Na última semana, notícias de que o inverno seria o mais rigoroso dos últimos 100 anos, devido ao fenômeno La Niña, circularam na internet. A notícia viralizou até mesmo em outros países. No entanto, quem estiver na expectativa de frio extremo, pode se decepcionar.

Isso porque neste ano, especialistas preveem um inverno um pouco mais quente do que a média no país. Segundo o Climatempo, os principais centros de análise de monitoramento de fenômenos oceânicos mostram que o El Niño e La Niña não estarão presentes no decorrer do outono/inverno de 2018 no Hemisfério Sul e Norte.
O coordenador geral de meteorologia do Inmet, Expedito Rebello, afirma que trata-se de uma notícia falsa, com uma chance remota. “Não dá para dizer que teremos o inverno mais frio de 100 anos. Só dá para prever com maior exatidão entre 5 a 7 dias, a partir daí, o resto é chute. Pode até ser que aconteça, mas é extremamente difícil”, salienta.
Segundo ele, a última massa de ar intensa ocorreu em julho de 1975, há 43 anos. “Deu uma geada generalizada e acabou principalmente com cafezais em São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso. O governo teve de subir as culturas de café para Minas Gerais e Espírito Santo. Mas, em uma situação de frio extremo, estamos preparados para avisar caso ocorra”, explica.
Fonte: Correio Braziliense