Mato Grosso registra sexto caso de morte por dengue neste ano

dengueO sexto caso de morte em decorrência da dengue foi confirmado nesta terça-feira (22) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) de Mato Grosso. Segundo a SES, a vítima é um homem de 34 anos que morava na cidade deJuína, a 737 km de Cuiabá. No total, Mato Grosso registra seis mortes provocadas pela doença neste ano e outras quatro ainda estão sendo investigadas. Em 2014 ocorreram cinco mortes.

Ainda de acordo com a SES, entre 1º de janeiro e 16 de setembro de 2015 foram notificados 21.574 casos de dengue. No mesmo período de 2014 foram 9.759 casos, ou seja, neste ano houve um aumento de 121,07%. As informações são da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde.

Mato Grosso ainda contabiliza 77 cidades com alta incidência de dengue. Sinop, Várzea Grande, Santa Carmem, Ribeirãozinho,Cocalinho, Paranaíta, Santa Rita do Trivelato,Torixoréu, Campo Novo do Parecis, Alto Taquari, Matupá, Novo Horizonte do Norte,Serra Nova Dourada estão entre os municípios que apresentaram os maiores índices.

Em relação à febre chikungunya, foram registrados 316 casos suspeitos. Deste total, 227 estão sob investigação e 89 foram descartados nos municípios de Barra do Bugres, Campo Novo do Parecis, Cuiabá, Guaratã do Norte, Juína, Lucas do Rio Verde, Marcelândia, Nova Olímpia,Primavera do Leste, São Felix do Araguaia, Sorriso, Terra Nova do Norte, Várzea Grande,Rondonópolis. Até o momento, não foi confirmado nenhum caso de transmissão da doença em Mato Grosso.

Fonte: G1

Cachoeiras serão interditadas nesta terça-feira em Mato Grosso

Ocachoeira chapada Parque Nacional de Chapa dos Guimarães, um dos principais pontos turísticos de Mato Grosso, voltou a ser alvo de queimadas. Brigadistas e equipes do Corpo de Bombeiros tentam novamente combater focos de incêndio.

De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, ICMBio, responsável por gerir o parque, o Circuito de Cachoeiras deverá ser fechado para visitação a partir desta terça-feira, dia 22.

Permanecem fechados à visitação o Morro São Jerônimo, ponto mais alto Parque Nacional, e uma trilha conhecida na região como Casa do Morro/Carretão.
O ICMBio informou que as queimadas iniciaram na semana passada, controlada parcialmente.
No início do mês, o Parque Nacional chegou a ficar fechado por quase uma semana por conta de incêndios espalhados em diversos pontos.
Agora, segundo o ICMBio, o fogo se alastrou para o setor Sul e Noroeste de Chapada dos Guimarães, atingindo algumas propriedades. Dessa forma, os bombeiros tentam conter as chamas às margens da MT-351, estrada que dá acesso à região do Manso.
Outros pontos atrativos do Parque Nacional, como o Véu de Noiva, a Cachoeira dos Namorados/Cachoeirinha, o Vale do Rio Claro e a Cidade de Pedras, estão abertos e liberados para visitação. O combate é feito entre as quatro da manhã às 22 horas.
Fonte: MTviaradio

Proposta na Câmara tira o carro de motorista bêbado que matar no trânsito

motoristaMotorista bêbado que se envolver em acidente com morte poderá perder o carro. A decisão foi aprovada pela Comissão de Viação e Transportes.

Vale também para o condutor que praticar homicídio culposo, que é quando não há intenção de matar, quando estiver sob efeito de qualquer outra substância psicoativa. Ainda assim, o motorista estará sujeito à pena de detenção, de dois a quatro anos, multa, e suspensão ou proibição da habilitação.

A perda do veículo será incorporada ao Código de Trânsito Brasileiro. O carro apreendido deverá ficar com algum dependente ou com a família da vítima. Poderá, ainda, ser repassado à União. Caso o veículo não seja encontrado, pertencer a alguma outra pessoa de boa-fé ou for destruído na batida, a família da vítima ou a União vai receber o equivalente em dinheiro.

Agora, a proposta vai ser analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e depois seguir para o Plenário.

 

Fonte: Radio2

Horário de verão começa no próximo dia 18

horario-de-verao-Falta menos de um mês para o início do horário de verão no país. Às zero hora do dia 18 de outubro de 2015, domingo, os relógios devem ser adiantados em uma hora. Moradores dos estados das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e do Distrito Federal precisam estar atentos à alteração, que segue até às 0h do domingo 21 de fevereiro de 2016, quando os relógios retomam o horário tradicional.

As regras estão estipuladas no decreto de 2008, que fixa a duração da media do horário de verão em quatro meses. Pelo decreto, a data estipulada para o início do horário de verão é sempre o terceiro domingo de outubro. Já o encerramento ocorre no terceiro domingo de fevereiro. A única exceção se dá quando o terceiro domingo de fevereiro coincide com o domingo de Carnaval.
Nesse caso, o horário de verão termina no quarto domingo de fevereiro. O principal objetivo do horário de verão é aproveitar melhor a luminosidade natural do dia, reduzindo o consumo de eletricidade no fim da tarde, quando é registrada a maior demanda por energia. No Brasil, o primeiro horário de verão foi realizado entre 1931 e 1932, pelo presidente Getúlio Vargas, com duração de 5 meses.
Fonte.MTVIARADIO

Taques dá entrevista para a Revista Veja

pedro taquesO governador Pedro Taques (PSDB) é o principal entrevista da revista Veja desta semana. Ele aparece nas páginas amarelas onde fala de seu conceito sobre política, de punição aos corruptos, de impecheament de Dilma. Sobre a presidente chega a afirmar que é “ilógico” não investigar as contas de campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), e defende uma investigação ampla das contas de campanha.

 
Ainda nas páginas amarelas, Taques lembra que foi aluno do vice-presidente Michel Temer, onde aprendeu que o impeachment é plenamente correto desde que as investigações mostre que o chefe do poder em questão não está no ritmo certo de seu governo. Lembra que como soldado do PSDB não concorda com a questão de ficar em cimado muro, no caso sobre a questão da inviabilidade do governo Dilma e que vai expor sua posição dentro do partido.

 
Já ao se referir sobre sua ação como governador, Pedro Taques foi enfático ao dizer que pauta ela ética governamental, que é contra a corrupção e que seus secretários assinaram um termo de confiabilidade e quem não cumprir as determinações será mandado embora. Ele ainda reclamou das distorções do pacto federativo e sobre a possibilidade de impeachment de Dilma.

 
Confira a íntegra da entrevista:

Pedro Taques tem um histórico diferente do da maioria dos políticos. Como procurador da República, desempenhou papel decisivo em investigações de desvio de dinheiro público, a mais conhecida delas a que resultou na prisão de Jader Barbalho – com quem dividiria anos depois a tribuna do Senado Federal. Ao renunciar ao cargo no Ministério Público e ser eleito senador, Taques desafiou Renan Calheiros na disputa pela presidência da casa.

Sabia que perderia, mas assumiu o risco em nome da moralização de certos costumes tão caros às excelências. Como todo chefe estadual, Taques, recém-filiado ao PSDB, volta e meia esta em Brasília à cata de verbas.

Nada que mude seu espirito em relação a aqueles que desrespeitam a constituição e os bons costumes.

 

O senhor enfrentou o crime organizado quando era procurador , adotou uma postura de independência do governo quando era senador e agora dá expediente como governador. Qual destas três tarefas é a mais difícil?

São trincheiras diversas , mas o meu objetivo sempre foi o mesmo: defender os princípios constitucionais, como legalidade, impessoalidade, moralidade, probidade e economicidade. Vejo que há uma disfunção cultural no Brasil no sentido de (não) cumprimento desses princípios. Por exemplo: gasta-se muito e não se respeita a economicidade. Sou favorável a que o Estado cumpra atribuições em áreas básicas e imprescindíveis, como saúde , educação, segurança e, em estados com dimensões razoáveis como o nosso, transportes. O Estado tem de desenvolver bem poucas atribuições. As demais podem ser tocadas pela iniciativa privada. Como temos um Estado muito grande, há probabilidade maior de que esses princípios constitucionais sejam violados.

 

O senhor aplica essa filosofia na administração de Mato Grosso?

Claro, cortamos o número de secretarias, de cargos comissionados e de determinados gastos, em alguns casos de até 59%, a fim de que sobrem os recursos necessários para a concretização de políticas públicas. Sou defensor da tese de que você só pode gastar arrecada. Não concordo com orçamento de ficção. Na gestão moderna é preciso fazer mais com menos – e em menos tempo. Para isso , você precisa de eficiência. Meus secretários assinaram um acordo de resultados pautado no meu programa de governo. Há o detalhamento de cada ação, inclusive com a origem do recurso que financiará essa ação. Se o secretario não cumprir o acordo, ele será mandado embora.

 

A situação econômica dos estados é mais complicada do que a da União?

A maioria dos estados tem problema de caixa em razão da distorção no chamado pacto federativo. Na Alemanha, que é uma federação, 50% de tudo o que é arrecadado fica com os municípios. No Brasil, há uma hipertrofia de recursos na União em detrimento de estados e municípios – e essa distorção vem se agravando desde a constituição de 1988. Mas a questão não é apenas de divisão do bolo tributário. Hoje, a União não tem responsabilidade com a segurança pública, executando-se o controle das fronteiras. A União também subfinancia o setor de saúde. Isso tem de ser repensado.

 

A balança está descompensada?

Os estados que fizeram seu ajuste fiscal e precisam de dinheiro novo dependem do aval da União para contratar novas operações de crédito. Isso faz com que não tenhamos um pacto federativo, mas uma submissão federativa dos estados à União. A justificativa do governo federal para a obrigatoriedade do aval é que, sem o controle da contratação de operações de crédito pelos estados, haverá prejuízo no resultado do superávit primário do setor público . Ou seja: o estado é chamado, às vezes, a pagar uma conta que não é dele. O estado não é e nem pode ser submisso à União. Não é possível numa federação a presidente decidir qual será o ajuste fiscal e depois simplesmente comunicar aos governadores.

 

O ajuste fiscal anunciado pela presidente Dilma Rousseff é meritória?

Entre os principais fatores das relações econômicas estão a fidúcia, a fé, a confiança, a credibilidade, que exigem as decisões corretas no momento certo. Se o governo toma decisões erráticas, muda de posições a cada instante, não tem unidade na equipe, ele inviabiliza a aceitação das medidas. Além disso, quando se enfrenta uma crise econômica como a atual , você tem de , antes de amis nada, cortar despesas, para só então ver o lado da receita. Tem de cortar o número de ministérios. O efeito fiscal é pequeno , é verdade, mas há um lado simbólico, pedagógico, importante. Tem de diminuir o número de cargos comissionados, cortar o custeio da máquina e repactuar contratos. Não sou o dono da verdade , mas penso que você só pode falar em incremento de impostos a partir do momento em que faz o seu dever de casa. Se você não faz o dever de casa, acelera a perda de credibilidade. O governo , infelizmente , não fez o dever de casa.

 

O senhor acha valida a tentativa do governo de recriar a CPMF?

Todo o dinheiro novo é bem-vindo aos estados diante da penúria em que se encontram. Os governadores de hoje quase não passam de gerentes de banco – nada contra gerente de banco -, ou gerente de recursos humanos. A maneira como o governo colocou a questão mostra um de deslealdade com os governadores: “Eu lhe dou tanto para você convencer a bancada a aprovar a CPMF”. Eu não me sinto confortável numa situação como essa. A União precisa de dinheiro e oferece uma cenoura aos governadores. Isso é desonesto do ponto de vista político. Além disso, como disse, é preciso atacar a despesa, fazer o dever de casa. O todo não esta sendo discutido. Precisamos de reformas estruturantes.

 

Em quatro anos como senador, o senhor apontou erros na condução da politica econômica pelo governo. Recentemente, seu partido votou a favor de medidas de aumento de gastos, exatamente como fazia o PT nos tempos de oposição. O senhor concorda com esta atitude?

Não concordo com algumas dessas votações do PSDB. Sou um político independente e, como bom soldado, farei este debate dentro do partido.

Alguns advogados, empresários e políticos alegam que a Operação Lava-Jato esta tisnada de arbitrariedades. O senhor concorda?

As decisões da Lava-Jato foram feitas pelo juiz Sergio Moro e depois mantidas pelo Tribunal Regional Federal (TRF) Da 4° Região, pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e pelo Superior Tribunal Federal (STF). Será que todos esses operados do direito erraram? Não é razoável essa alegação. È natural que os advogados reclamem de arbitrariedades. Eles estão sendo pagos para isso. Não existem as condições políticas para a punição do governante. Então, o contrario também é possível (a existência de condições politicas mesmo sem a comprovação efetiva do crime). O juízo político pode ser feito independente da tipicidade.

 

Sendo menos tucano e mais claro, o senhor é ou não favorável ao impeachment?

O tribunal de contas da União (TCU) analisa o caso das pedaladas fiscais. No Tribunal Superior Eleitoral (TSE), está a questão do abuso de poder econômico na campanha eleitoral passada. Os deputados têm de fazer um juízo político de oportunidade e conveniência do impeachment. Os fatos hoje são muito graves e merecem, sim, uma ordem de julgamento.

 

A oposição cobra ao governo devido ao Petrolão, mas não move uma palha no congresso a respeito de deputados e senadores acusados de participar do esquema. A indignação é seletiva?

O fato de o cidadão ser investigado em processo penal não tem significado, porque ele não tem uma culpa contra si estabelecida. É a chamada presunção de inocência. Agora, do ponto de vista político, a investigação tem e deve ter repercussão, sim. Eu, por exemplo, enfrentei o senador Renan Calheiros( que responde a inquéritos variados no STF)na disputa pela presidência do Senado. Então, defendo a tese de que o PSDB tem de se posicionar. O Congresso tem de superar essa dificuldade que tem de se investigar.

 

Qual o modelo ideal de financiamento de campanha?

Eu recebi doações de pessoas jurídicas e físicas, mas, como senador, defendi a proibição de financiamento pela iniciativa privada. Para mim, o financiamento público poderia diminuir a possibilidade de corrupção, de venda de apoio para receber benefícios posteriores. Mas o financiamento publico com lista fechada (como defendia o PT)também criaria o caciquismo e fortaleceria as cúpulas partidárias. Hoje, acredito que o importante é limitar os gastos de campanha e estabelecer mecanismos.

 

Um esquema como o Petrolão poderia funcionar sem o conhecimento do governo?

Eu não quero estabelecer culpa sem ter o conhecimento do processo. Seria uma deslealdade da minha parte. Mas, como disse um ministro do STF sobre o mensalão , ao julga-lo, o esquema se desenvolveu na sala ao lado do gabinete do presidente da República. Isso começa a imbricar muito perto daquela que exerce a chefia do Poder Executivo. O pretolão está sendo investigado dentro das regras constitucionais. A Operação Lava-Jato deixara o legado de que ninguém está acima da lei e que a impunidade não persistirá.

 

O senhor concorda com o entendimento do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de que a presidente Dilma não pode ser investigada na Operação Lava-Jato?  

A constituição diz que o chefe do Poder Executivo não pode ser processado durante o exercício do mandato por atos estranhos a sua função. Ou seja: se for em razão do exercício da função , ele poderá ser processado. Como você saberá se o fato é ou não é estranho ao exercício da função sem investigar? É ilógico. Investigar é uma necessidade. A constituição não proíbe a investigação.

Um delator do petrolão disse que doou a reeleição da presidente depois de ser extorquido pelo tesoureiro da campanha. Esse fato, se confirmado, abre espeço para que Dilma seja processada?

Eu não vi esse depoimento. Não quero falar sobre hipóteses.

 

O senhor acha que há razões para o impeachment da presidente, como afirmaram integrantes do PSDB?

A possibilidade de impeachment esta na Constituição. Ela é absolutamente legítima. Quem fala que isso é golpe está totalmente desarrazoado da Constituição e não entende o momento histórico que o Brasil vive. Eu tive um professor de direito constitucional, Michel Temer, que disse que o impeachment é um processo poltico-juridico. Ele ensinou que às vezes há provas de que o crime foi cometido, mas eficientes de fiscalização.

 

Desde a redemocratização, o Brasil adotou o modelo de presidencialismo de cooptação, no qual o governo compra – com cargos, emendas e ate com dinheiro sujo – apoio parlamentar. Como é a relação do senhor com a Assembleia do seu estado?

Eu fui eleito com dez de 24 deputados estaduais e, mesmo assim, aprovei projetos. Nunca ofereci nada não republicano aos deputados, e nenhum deles me pediu nada não republicano. Só tenho um secretario com filiação partidária. Todos os outros são técnicos. Há no governo indicações políticas nos escalões inferiores, e a indicação políticas (como conceito) não pode ser criminalizada. Eu não estou fazendo faxina porque o povo que entrou comigo não está sujo , diferentemente da presidente Dilma, que recebeu um governo de continuidade. Você só faz faxina no que está sujo.

Fonte: 24horasnews

Primavera começa nesta semana com previsão de chuvas mais fortes

primaveraNa próxima quarta-feira (dia 23), às 5h20 da manhã, o Brasil entra na primavera. A tendência histórica da estação é de que as chuvas se tornem mais intensas e frequentes.

Este ano, o fenômeno El Niño, causado pelo aquecimento da superfície do Oceano Pacífico na área equatorial, fará com que as chuvas se concentrem abaixo de uma linha que corta Mato Grosso, Goiás, a metade de Minas Gerais e três quartos do estado do Rio.

 

A estação será ainda mais chuvosa no Mato Grosso do Sul e na Região Sul.

 

As mudanças do tempo não serão sentidas imediatamente. Segundo o meteorologista Bruno Miranda, do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), chuvas mais intensas ocorrerão a partir da segunda quinzena de outubro. Até lá, o tempo seco ainda permanecerá.

 

A concentração das chuvas nessas áreas favorece o volume dos reservatórios de água que abastecem as cidades com maior população.

 

Em compensação, no Nordeste os açudes dos sertanejos continuarão com o volume baixo. O meteorologista Mamedes Luiz Melo prevê seca para a região,

 

A estiagem não deverá afetar as áreas litorâneas do Nordeste, o sul dos estados do Piauí, Maranhão e no oeste da Bahia. Na Região Norte, o período chuvoso inicia-se nos meses de outubro e novembro, com o aumento gradativo das pancadas de chuva e trovoadas.

 

Segundo os meteorologistas, mesmo com as chuvas as temperaturas não deverão se alterar.

Fonte:Radioagencia

Diabetes já está matando mais que AIDS, malária e tuberculose somados

diabetesA cada 7 segundos uma pessoa morre vítima de complicações causadas pela diabetes no mundo. Em 2014, foram 4,9 milhões de mortes causadas pela doença. No mesmo período, 1,2 milhão de pessoas morreram vítimas de HIV, 584 mil perderam as vidas para a Malária e 1,5 milhão para a tuberculose. Isto significa que a diabetes mata mais do que todas as outras três doenças somadas.

Para a Federação Internacional de Diabetes, a doença é o maior problema a ser enfrentado no sistema de saúde em todo o mundo. Mais de 387 milhões de pessoas em todo o planeta são diabéticas. No entanto, 46,3% delas não sabem que têm a doença. No Brasil, mais de 12 milhões são diabéticos e 24% ainda não recebeu o diagnóstico.
Em 2035, estimasse que o número de diabéticos e pessoas em estágio pré-diabetes somados ultrapassem 1,1 bilhão de pessoas. No Brasil, no mesmo período, o número de doentes deve subir para 20 milhões.
Para a Sociedade Brasileira de Diabetes para reverter os índices de crescimento, é preciso um trabalho muito forte de políticas públicas e uma mudança total no comportamento da população. Essa dificuldade existe porque o tipo mais comum de diabetes, que atinge 90% dos doentes, é o tipo 2, causado principalmente por maus hábitos, podendo atingir qualquer pessoa, independentemente de haver histórico familiar ou não.
A diabetes tipo 2 está diretamente ligada ao estilo de vida, como falta de exercícios físicos, altos níveis de estresse, excesso de comidas industrializadas e, principalmente, a obesidade.

Telexfree é condenada a ressarcir divulgadores e pagar multa de R$ 3 milhões

TelexFreeApós dois anos e três meses da decisão que bloqueou a Telexfree, a Justiça do Acre condenou a empresa a ressarcir todos os investidores e pagar uma multa de R$ 3 milhões por criar um esquema de pirâmide disfarçado de marketing multinível. A decisão, da 2ª Vara Cível de Rio Branco, divulgada nesta quinta-feira (17), dissolve o negócio e proíbe o sócios de continuar com práticas semelhantes. Os responsáveis vão recorrer.

 

A sentença, da juíza Thaís Khalil, estabelece que os investidores terão direito a receber de volta o que pagaram a título de Fundo de Caução Retornável e de kits de contas VoIP não ativadas, descontadas as bonificações, gratificações e comissões de venda que tenham ganhado. Os lucros prometidos – principal chamariz do negócio – ficam de fora.

 
O número de lesados é incerto. O Ministério Público do Acre (MP-AC) estima que 1 milhão de pessoas tenham entrado na Telexfree no Brasil. Informações da Justiça dos Estados Unidos, onde a Telexfree também responde a processo, dão conta de que a empresa tenha amealhado cerca de US$ 450 milhões no Brasil, ou R$ 1,7 bilhão no câmbio de quarta-feira (16).

 

Para reaver o dinheiro aplicado no negócio, cada investidor – ou divulgador, como a empresa os define – deverá entrar com uma ação de liquidação de sentença no local onde mora. Não é preciso ir até Rio Branco.

 

Uma das responsáveis iniciais pelo processo contra a Telexfree, a promotora Alessandra Marques diz ainda não ser possível saber se os recursos da empresa e dos sócios – Carlos Roberto Costa, Carlos Nataniel Wanzeler e James Matthew Merril – serão suficientes para ressarcir os investidores, mas acredita que sim. Cerca de R$ 700 milhões foram congelados pela Justiça em 2013.

 

“Espero que esse caso sirva para o futuro. Óbvio que é um precedente importante para a área judicial, mas esperao que seja muito importante para as pessoas não jogarem dinheiro fora”, afirma Alessandra, em entrevista ao iG.

 

Horst Fuchs, um dos advogados da Telexfree, disse que a empresa vai recorrer da decisão.

 

EUA, Brasil, EUA


Criada nos Estados Unidos em 2012, por Wanzeler e Merrill, a Telexfree começou as atividades no Brasil em 2013, por meio de Carlos Roberto Costa. Os investidores foram atraídos com a promessa de lucrar com a colocação de anúncios de internet e comercialização de pacotes de VoIP (telefonia via internet) por meio do marketing multinível – um modelo de varejo legal em que os vendedores são bonificados por trazer mais gente para a rede.

 

Para entrar no negócio, os investidores compravam pacotes que custavam de US$ 299 (R$ 1.146) a US$ 1.375 (R$ 5,3 mil). Para os promotores brasileiros, essa era a principal fonte de financiamento da Telexfree. Segundo uma investigação da Comissão de Valores Mobiliários de Massachussetts, estado norte-americano onde a empresa foi criada, o VoIP representa 20% do US$ 1,2 bilhão (R$ 4,6 bilhões) amealhados pelo negócio em todo o mundo.

 

Com imagens de carros luxosos e cheques milionários, realização de eventos (como um cruzeiro com show da dupla Bruno e Marrone), nvestimento em publicidade (como o patrocínio do clube de futebol carioca Botafogo e a contratação do jornalista Celso Freitas e do ator Sandro Rocha, de Tropa de Elite, como garotos-propaganda) a Telexfree se tornou o 2º termo mais buscado no Google no Brasil em 2013.

 

O sucesso permitiu que ela atraísse 1 milhão de investidores em menos de dois anos no País. Dentre eles, membros do Judiciário (a Procuradoria Geral de Justiça de Mato Grosso emitiu, março de 2013 uma ordem para que os servidores cessassem as relações com a empresa), da Polícia Militar, da reserva das Forças Armadas e mesmo um conselheiro do Procon de Mato Grosso.

 

No início de 2013, o negócio começou a chamar a atenção das autoridades brasileiras e, em junho, a juíza Thaís Khalil determinou o bloqueio das atividades da Telexfree e de bens da empresa e de seus responsáveis. A decisão disparou uma reação dos investidores, que realizaram manifestações em diversas capitais.

 

Com as atividades bloqueadas no Brasil, a Telexfree continuou a captar investidores no País por meio de suas empresas nos Estados Unidos, como o iG revelou, onde também acabou bloqueada. Seus sócios foram presos e um dos principais líderes do negócio, Sanderley Rodrigos de Vasconcelos, é procurado pela Interpol.

 

O caso chamou a atenção para a existência de diversos outros negócios suspeitos de serem pirâmides financeiras – uma febre, segundo o Ministério da Justiça. Um dos maiores é a BBom, que segue com as atividades bloqueadas. Seus representantes negam irregularidades.

Fonte:24horasnews

Contran decide que uso do extintor em carro é opcional

extintorExtintor deixa de ser obrigatório nos carros. É o que determinou o Conselho Nacional de Trânsito.

A mudança na legislação ocorre após três meses de avaliação técnica. Agora o uso do extintor passa a ser opcional também em utilitários, camionetas, caminhonetes e triciclos de cabine fechada.

O equipamento só será obrigatório para veículos usados comercialmente para transporte de passageiros, caminhões, caminhão-trator, micro-ônibus, ônibus e veículos que transportam produtos inflamáveis, líquidos e gasosos. O uso do extintor se tornou obrigatório em 1968 e passou a vigorar em 1970.

O presidente do Contran e diretor do Departamento Nacional de Trânsito, Alberto Angerami, disse que a prorrogação da data para a obrigatoriedade do extintor ABC para 1º de outubro ocorreu para ganhar tempo para reuniões com os setores envolvidos.

De acordo com a Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, dos 2 milhões de sinistros em veículos cobertos por seguros, 800 tiveram incêndio como causa. Desse total, só 3% usaram o extintor.

 

Fonte: Radio2

Após se apresentar a Justiça, ex-governador Silval Barbosa está preso em Cuiabá

silval presoO ex-governador Silval Barbosa se apresentou, ontem a tarde, no Fórum de Cuiabá. Ele estava com a prisão decretada desde o dia 15 de setembro, quando foi deflagrada a “Operação Sodoma, e era considerado foragido. Silval ingressou com pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça de Mato Grosso, que ainda não foi julgado.

Após se apresentar a Justiça, Silval foi encaminhado ao IML para exame de corpo de delito, depois, já no início da noite, ele seguiu para a Delegacia Fazendária para prestar depoimento. Ele ficará em uma cela especial no Batalhão do Corpo de Bombeiros no bairro do Porto.
Silval Barbosa é acusado de comandar uma quadrilha que desviou recursos públicos por meio de fraudes em incentivos fiscais no Estado.
A juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane dos Santos Arruda, que autorizou a “Operação Sodoma”, aponta o ex-governador como o líder de uma organização criminosa que lesou os cofres públicos e que como governador do Estado, além de autoridade sobre os demais, era o único que tinha o poder legal de conceder, mediante Decreto Legislativo, os incentivos fiscais”
Além dele, tiveram as prisões decretadas os ex-secretários Pedro Nadaf, da Casa Civil, e Marcel Souza de Cursi, da Fazenda. . Ambos encontram-se detidos no Centro de Custódia de Cuiabá.
Fonte: MTVIARADIO