Medicamentos terão reajuste de preço

( Foto: Google Imagens )

Fabricantes devem aumentar o preço dos medicamentos para o consumidor.

Desde o último sábado, o governo autorizou reajuste de até dois vírgula 84 por cento para os remédios.

A correção foi calculada com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA, que é referência para a inflação no País.

De acordo com o Ministério Saúde, o reajuste médio dos cerca de 13 mil medicamentos comercializados ficou em torno de dois vírgula 38 por cento.

A taxa de reajuste varia de acordo com o perfil de concorrência da substância.

Os cálculos foram feitos pela Câmara Técnica de Regulação de Medicamentos, órgão vinculado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Vale lembrar que este aumento de preços não incide sobre os remédios fitoterápicos e homeopáticos.

As informações são do portal G1.

Fonte: MTviaRádio

Congresso vai cortar salário de petistas que acompanharam Lula.

(Foto: Google Imagens )

Parlamentares petistas que faltaram a sessões na Câmara e no Senado para acompanhar a caravana de Lula pelo Sul poderão ter os dias descontados do salário. O valor de cada sessão varia entre R$ 1,2 mil e R$ 1,6 mil.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia avisou que não vai abonar faltas justificadas como “atividade política”. “Senão a Câmara não vai dar quórum nunca mais na vida”, argumentou.
Porém, tem direito a abono regimental automático líderes partidários, presidentes de legendas, membros da Mesa Diretora e ex-presidentes da Casa.
Outros deputados que faltarem precisam do aval de Rodrigo Maia para abonar as ausências.
Fonte: MTviaRádio

Ministro diz que setor agrícola pode precisar de crédito especial devido à greve

Brasília – O Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi participa do PAINEL DE ALTO NÍVEL 9 – ÁGUA PARA A AGRICULTURA E A PRODUÇÃO DE ALIMENTOS (José Cruz/Agência Brasil)

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou nesta terça-feira que é possível que os produtores de proteína animal precisem de linhas de crédito especiais para se recuperar das perdas causadas pela paralisação dos caminhoneiros, que está em andamento desde o dia 21 de maio.

O plantel, citado pelo ministro, é nome técnico para o grupo de animais selecionados pela qualidade. Blairo Maggi comentou o assunto durante a abertura do Fórum de Investimentos Brasil 2018, em São Paulo. Segundo ele, o setor menos afetado foi o de grãos.

Na Câmara dos Deputados, a Frente Parlamentar de Agricultura se reuniu com diversos setores da agropecuária. O deputado Nilson Leitão, do PSDB, afirmou que a isenção do PIS/Cofins sobre o diesel já tinha sido aprovada pelo Congresso e vetada pelo Executivo em 2015.

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil estima que o prejuízo dos produtores rurais em valor bruto da produção, chegue a 6 bilhões e 600 mil reais.

Fonte: EBC

Diagnóstico aponta incidência de acidentes graves de trabalho em Mato Grosso

Foto: MTviaRádio

Um diagnóstico dos acidentes de trabalho em Mato Grosso elaborado pelo Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), do setor da Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT), aponta a ocorrência de 11.327 casos graves no estado no período de 2012 a 2016.

O levantamento, realizado no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), foi categorizado por faixa etária, sexo, raça, escolaridade, ocupação, local, tipo de acidente e inclusive as partes do corpo mais atingidas.
Em 59,1%  das ocorrências os empregados são registrados, sendo que 67,2% dos acidentes ocorreram nas instalações do contratante e 82,4% durante a execução das tarefas laborais. A faixa etária de maior incidência é entre 25 a 34 anos, 88,4% das vítimas são homens das raças branca e parda, com nível de escolaridade entre o 1º e o 3º ano do Ensino Médio, que trabalham na zona urbana e na maioria dos casos encontram-se nos setores como agropecuário, construção civil e na operação de máquinas e equipamentos e veículos automotores.
Toda esta conjuntura, de acordo com o coordenador do Cerest/MT, Paulo Lima, pode ser interpretada como ambientes de trabalho que não oferecem segurança adequada aos trabalhadores, seja por jornadas de trabalho extensivas, tipo de organização do trabalho e, ou falta de equipamentos de proteção coletiva e individual.
As partes do corpo mais atingidas são os membros superiores (49,1%), principalmente as mãos, seguida dos membros inferiores (13,3%) e cabeça (11,8%). Sobre a evolução dos casos, 40,9% obtiveram cura e 36,9% apresentaram incapacidade temporária, o que provoca o afastamento do serviço para tratamento e isto causa forte impacto nas condições socioeconômicas, familiares e psicológicas do trabalhador.  Dos 11.327 trabalhadores vítimas de acidentes de trabalho de 2012 a 2016, 318 (2,8%) foram a óbito.
A Taxa de Incidência (TI) dos acidentes de trabalho grave teve um aumento expressivo no período analisado, saindo de 120,2 em 2012 para 202,4 acidentes de trabalho para cada 100 mil habitantes em 2016.
Para Paulo Lima, a provável causa do aumento da Taxa de Incidência para acidentes graves, foi o aumento das notificações realizadas pelos profissionais de saúde das Unidades Sentinelas, que durante este período receberam capacitação realizada pelo Cerest/MT para investigação e preenchimento das fichas do SINAN para os agravos relacionados ao trabalho, melhorando muito a quantidade destas notificações. “Mesmo assim, estima-se que são muitas as subnotificações”, alerta o coordenador.
Já a incidência de óbitos caiu de 16,9 para 14 a cada 100 mil habitantes nesse mesmo período, porém, observa-se que as regionais que apresentaram as maiores taxas de mortalidade foram Juína, Sinop, Alta Floresta, Diamantino e Água Boa.
“Os casos de óbitos por acidente de trabalho estão mais concentrados na rota de maior desenvolvimento econômico do agronegócio em Mato Grosso, porém vale lembrar que na Regional da Baixada Cuiabana os registros dos óbitos por acidente de trabalho e dos Acidentes de Trabalho Grave estão muito aquém da realidade, considerando esta ser a Regional que concentra a maior parte da população economicamente ativa e ocupada”, afirma Paulo Lima.
O coordenador do Cerest/MT observa que Mato Grosso é um estado que tem apresentado um elevado nível de desenvolvimento econômico baseado principalmente na produção agropecuária. Disso, ocorre a necessidade de medidas de proteção, prevenção e controle dos riscos à saúde dos trabalhadores nos ambientes de trabalho, principalmente nesse segmento da economia.
“E isto pode ser feito mediante a inserção de mecanismos, tecnologias e instrumentos que incorporem a antecipação dos riscos e permitam a prevenção dos agravos relacionados ao trabalho nos diversos campos de atuação e nos processos e atividades produtivas fomentadas por essas políticas de desenvolvimento”.

A garantia da efetividade das ações de promoção e proteção da saúde dos trabalhadores pressupõe a articulação entre as diversas políticas, incluindo o campo da saúde do trabalhador. “Por isso é necessário incluir atividades de Vigilância em Saúde do Trabalhador e monitorar os fatores de risco para as doenças e acidentes relacionados ao trabalho com a participação dos trabalhadores e do Controle Social nos ambientes de trabalho”, finaliza Paulo Lima, salientando que este diagnóstico, mesmo com números subestimados, apresenta um norte para estabelecer prioridades para a atuação da saúde do trabalhador no estado de Mato Grosso.

Sandra Carvalho/SES-MT

Prorrogada até 15 de junho campanha de vacinação contra gripe

Foto: Google Imagens

O público-alvo da campanha contra a gripe vai ter mais 14 dias para procurar os postos de vacinação. O Ministério da Saúde confirmou que a campanha que terminaria no próximo dia primeiro foi prorrogada para 15 de junho, devido ao impacto da paralisação dos caminhoneiros nos atendimentos em saúde.

Segundo o órgão, as 60 milhões de doses já foram distribuídas para todos os estados e o Distrito Federal. Caso ainda haja doses no estoque, a vacinação poderá ser ampliada para crianças com idade entre cinco e nove anos.

Até o momento, a prioridade são os pequenos com até cinco anos incompletos, além de idosos, gestantes, pessoas com morbidades, e público com maior risco de complicações para a doença.

Do total de mais de 54 milhões de pessoas esperadas, ainda faltam ser vacinadas quase 19 milhões, o que significa um alcance, até o momento, de 66 por cento do público-alvo. Em Goiás, 99% do público-alvo já foi vacinado e, no Amapá, mais de 90%. O menor índice está em Roraima, onde pouco mais de 30% das pessoas estão imunizadas.

As crianças continuam sendo o público com o menor índice de imunização: menos da metade delas foram levadas aos postos de vacinação. No topo da cobertura, estão as puérperas, mulheres que deram a luz em menos de 45 dias. Esse grupo está com cobertura de 78%.

 

Até o último sábado, o Brasil registrava mais de dois mil casos de influenza, com 335 mortes.

Fonte: EBC

Suspeito é preso por tráfico de drogas no bairro Jupiara

EM RONDAS PELO BAIRRO JUPIARA NA NOITE DESTA SEGUNDA-FEIRA (26), UMA GUARNIÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AO SE APROXIMAR DE UM ESTABELECIMENTO CONHECIDO ATRAVÉS DE VÁRIAS DENÚNCIAS, COMO PONTO DE TRÁFICO DE DROGAS, AVISTOU UM HOMEM EM ATITUDES SUSPEITAS.

NA ABORDAGEM, O SUSPEITO AINDA TENTOU RESISTIR A REVISTA PESSOAL, NEGANDO POR AS MÃOS SOBRE A CABEÇA, SENDO PRECISO O USO DA FORÇA.  EM UM DOS BOLSOS DA CALÇA, FORAM ENCONTRADAS 29 PEDRAS DE CRACK E UMA NOTA DE UM DÓLAR.

QUESTIONADO SOBRE A PROCEDÊNCIA DO ENTORPECENTE, O SUSPEITO ACABOU CONFESSANDO SER O DONO.

O SUSPEITO AINDA RESISTIU A PRISÃO DIZENDO QUE NÃO SERIA PRESO. ELE FOI DETIDO E ENCAMINHADO PARA A DELEGACIA DE POLÍCIA PARA AS DEVIDAS PROVIDÊNCIAS.

Fonte: Redação

Concursos em todo país pagam salário de até R$ 27,5 mil

(Foto: Google Imagens )

Concursos públicos oferecem 19.605 vagas com salários de até R$ 27,5 mil em todo país

As oportunidades são para diversos cargos, destinada a candidatos de todos os níveis de escolaridade.

No estado de São Paulo, são: 1.300 vagas para a Marinha, 84 para a Aeronáutica e 1.196 para 35 hospitais universitários federais pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares

Os principais concursos para o Ministério Público pra quem tem nível superior estão no Rio de Janeiro e Minas Gerais, com inscrições até o início do próximo mês

Para mais informações, acesse: jcconcursos.uol.com.br

Fonte: Rádio2

Campo Verde lidera geração de empregos no mês de fevereiro

Foto: Assessoria de Imprensa)

Município apresentou o melhor desempenho no mercado de trabalho em Mato Grosso

De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED)do Ministério do Trabalho, Campo Verde apresentou um saldo de 469 empregos gerados em fevereiro. Conforme os números divulgados, foram 884 admissões contra 415 demissões no mês.

O desempenho registrado em fevereiro foi bem melhor que o de janeiro, quando foram efetuadas 712 contratações e 605 demissões, proporcionando um saldo de 107 novos postos de trabalho.

“Esse resultado nos deixa muito satisfeitos”, disse o prefeito Fábio Schroeter. “E nos mostra que nossa cidade está conseguindo se manter longe da crise que tanto nos preocupa”, completou.

Os números do CAGED apontam que Campo Verde teve o melhor desempenho entre os municípios com mais de 30 mil habitantes em Mato Grosso.

Mais uma vez o agronegócio foi o carro-chefe na criação de postos de trabalhos, com 536 contratações e apenas 136 desligamentos. No ano, o setor apresenta um saldo de 579 postos de trabalho criados.

E segundo lugar está o setor de serviços, com 141 novas contratações contra 99 demissões. A indústria de transformação contratou 66 trabalhadores e demitiu 35.

Os únicos setores que apresentaram saldo negativo em Campo Verde foram os de serviço industrial de utilidade pública, com apenas duas contratações contra 11 demissões, e o comércio, que teve 112 trabalhadores contratados e 119 demitidos.

O desempenho de Campo Verde na geração de empregos foi muito superior ao de Nova Mutum, que apresentou um saldo de apenas 53 novos empregos em fevereiro. Em Lucas do Rio Verde foram feitas 1.100 contratações e demitidos 1.066 trabalhadores

Fonte: Assessoria de Imprensa

Campo Verde deve imunizar mais de 8 mil pessoas contra o vírus da influenza

Foto: http://prefeitura.rio/

Começou nesta segunda-feira  (23) a campanha nacional de vacinação contra a influenza (gripe), coordenada pelo Ministério da Saúde. Em Campo Verde, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, 8.284 pessoas devem ser imunizadas até o dia 30 de maio. No dia 12 de maio será realizado o “Dia D” da vacinação, com os postos de saúde da zona urbana atendendo das 8h00 às 17h00.

De acordo com a preconização do Ministério da Saúde, devem ser vacinados idosos com mais de 60 anos, indígenas, gestantes, mulheres que deram à luz a menos de 45 dias (puérperas), crianças com idade de 6 meses a 4 anos, 11 meses e 29 dias e trabalhadores da saúde. “Esses têm prioridade”, ressaltou a enfermeira da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Vânia Christina Sanchez Franceschi.

Também devem ser imunizados professores e portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas específicas mediante prescrição médica. O objetivo da vacinação, de acordo com Vânia Franceschi, é reduzir as complicações, internações e mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus da influenza (gripe).

Em Campo Verde, de acordo com a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, a campanha não obedecerá o calendário do Ministério da Saúde, que prevê a vacinação por etapas. No município, todas as pessoas que fazem parte do público alvo já podem procurar os PSF´s da área urbana para serem vacinados. As gestantes poderão se vacinar também no CAISM.

Vânia Franceschi informou que as vacinas estão sendo encaminhadas por lotes pelo Escritório Regional da Secretaria Estadual de Saúde de Rondonópolis. “Nós recebemos até agora 30% do total necessário para atingirmos a meta. Enquanto houver doses vamos vacinar”, informou.

Na zona rural, de acordo com a enfermeira, a imunização obedecerá um calendário que está sendo preparado pela Secretaria de Saúde com base nas dozes de vacina disponíveis. “Mas quem quiser antecipar pode procurar o PSF´s de referência, que fica próximo à Prefeitura”, orientou.

O secretário de Saúde de Campo Verde, Altair Timoteo de Araújo, tranquilizou a população quanto aos casos de gripe H1N1 ou H2N3. Segundo ele, nenhum caso de contaminação pelos vírus transmissores dessas doenças foi registrado no Município nos últimos anos.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Especialistas desmentem boato de inverno mais rigoroso dos últimos 100

(Foto: Google Imagens )

Na última semana, notícias de que o inverno seria o mais rigoroso dos últimos 100 anos, devido ao fenômeno La Niña, circularam na internet. A notícia viralizou até mesmo em outros países. No entanto, quem estiver na expectativa de frio extremo, pode se decepcionar.

Isso porque neste ano, especialistas preveem um inverno um pouco mais quente do que a média no país. Segundo o Climatempo, os principais centros de análise de monitoramento de fenômenos oceânicos mostram que o El Niño e La Niña não estarão presentes no decorrer do outono/inverno de 2018 no Hemisfério Sul e Norte.
O coordenador geral de meteorologia do Inmet, Expedito Rebello, afirma que trata-se de uma notícia falsa, com uma chance remota. “Não dá para dizer que teremos o inverno mais frio de 100 anos. Só dá para prever com maior exatidão entre 5 a 7 dias, a partir daí, o resto é chute. Pode até ser que aconteça, mas é extremamente difícil”, salienta.
Segundo ele, a última massa de ar intensa ocorreu em julho de 1975, há 43 anos. “Deu uma geada generalizada e acabou principalmente com cafezais em São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso. O governo teve de subir as culturas de café para Minas Gerais e Espírito Santo. Mas, em uma situação de frio extremo, estamos preparados para avisar caso ocorra”, explica.
Fonte: Correio Braziliense