Estelionatários de MT aplicam golpe pela internet de R$ 50 mil em vítima do Maranhão e são presos

Parte do dinheiro foi recuperado e devolvido para a vítima, segundo a polícia — Foto: TVCA/Reprodução

Dois homens foram presos na quinta-feira (17) em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, suspeitos de aplicarem um golpe de R$ 50 mil em uma vítima que mora no Maranhão através da internet, segundo a Polícia Civil.

O golpe foi aplicado por meio de um site de vendas.

Os presos identificados como Werik Adriel Miranda e Bruno Siqueira Santos, de 19 e 23 anos, respectivamente, criaram um anúncio falso da venda de um carro. O G1 não conseguiu localizar a defesa deles.

A vítima negociou com os criminosos a compra do veículo por R$ 50 mil. À polícia, a vítima afirmou que os suspeitos chegaram a informar o endereço onde o carro estaria no Maranhão.

A polícia suspeita que as ligações que confirmaram a compra do veículo, teriam sido realizadas de dentro da penitenciária Mata Grande, que fica em Rondonópolis.

Durante a investigação, R$ 40 mil foram recuperados e devolvidos para a vítima, de acordo com a polícia.

Fonte: G1 MT

Brasileiros nascidos em janeiro e fevereiro recebem abono do PIS referente a 2017

Foto: Google Imagens

Brasileiros nascidos em janeiro e fevereiro recebem o abono salarial nesta quinta.

Têm direito ao benefício trabalhadores cadastrados no PIS há no mínimo cinco anos; que em 2017 tenham sido registrados em carteira por pelo menos 30 dias; e recebido, em média, até dois salários mínimos por mês.

O valor do abono varia de 83 a 998 reais, de acordo com a quantidade de meses trabalhados.

O dinheiro ficará disponível para saque até 28 de junho.

Neste calendário de pagamentos, mais de 23 milhões de brasileiros têm direito ao benefício, o que deve movimentar cerca de 18 bilhões de reais.

Lembrando que quem não fizer o saque no prazo perde o dinheiro.

Pra receber, quem é cadastrado no PIS deve ir a uma agência da Caixa.

Mas quem tem o Cartão Cidadão pode sacar o dinheiro nos caixas eletrônicos e até nas lotéricas.

Fonte: Rádio2

Treze fazendeiros de MT são citados pela União por trabalho escravo

Fonte: Folha Max

A nova Lista Suja do Trabalho Escravo conta com 204 empregadores flagrados submetendo trabalhadores a condições análogas à escravidão em todo país. Entre estes, 13 são de fazendeiros de Mato Grosso.

As propriedades rurais estão localizadas nas cidades de Chapada dos Guimarães (60 km de distância de Cuiabá), Itanhangá (495 km), Itiquira (347 km), Matupá (682 km), Nova Santa Helena (600 km), Paranaíta (840 km), Paranatinga (387 km), Poxoréo (270 km), Santo Antônio do Leverger (40 km), São Félix do Araguaia (1.159 km) e Sorriso (397 km).

Quem divulga e atualiza a lista é o Ministério Público do Trabalho (MPT) sob o nome oficial de Cadastro de Empregadores do trabalho escravo e é formulada pela Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT), do Ministério da Economia.

A publicação dessa lista é prevista e corroborada pela Portaria Interministerial número quatro, de 11 de maio de 2016, distribuída pelo governo federal. O Ministério Público do Trabalho (MPT) disponibiliza periodicamente a publicação atualizada da lista suja no portal da instituição com o objetivo declarado de dar maior visibilidade ao documento, que também pode ser acessado na página inicial do site do MPT.

 

VEJA A LISTA DE MATO GROSSO

Fazendas Flexas e Piuva, localizada na  BR 163, km 70, Santo Antônio do Laverger/MT, de propriedade de Antônio Carlos Zanin.

Obra na propriedade de Carlos Alberto Lopes, próximo à rodovia MT 251, estrada para Chapada dos Guimarães, margens do Córrego Mutuca.

Fazenda Nossa Senhora Aparecida, rodovia BR-080, km 131, zona rural, São Félix do Araguaia, de propriedade Elimar Barros Ribeiro.

Fazenda cachoeira, rodovia BR 299, km 66, zona rural, de propriedade da empresa Itiquira Frares Comércio de Madeiras Ltda.

Fazenda Rio Dourado – Rod. MT 383, Paraíso do Leste sentido Jarudore, 6 km, Poxoréo, de propriedade de Hélio Cavalcanti Garcia.

Fazenda Colorado – Rod. MT 404, km 80, Sorriso, de propriedade de JM Armazéns Gerais Ltda.

Fazenda Boa Esperança – Linha da Pedreira, Flor da Serra, zona rural de Matupá, de propriedade de João Fidelis Neto.

Fazenda Cachoeira – Rod. BR 299, km 66, direita, 6 km, Itiquira, de propriedade de Lucas Willian Frares.

Fazenda Bragatti III – Gleba Mandacaru, zona rural, Paranaíta, de propriedade de Natal Bragatti.

Fazenda União III – Rod. MT 130, sentido Santiago do Norte, 50 km, à esquerda 20 km, à direita 80 km, Paranatinga, de propriedade de Pedro Gomes Filho.

Fazenda Ariranha e Fazenda Flor da Mata, zona rural, Nova Santa Helena, de propriedade de Rio Pocinho Mineradora EIRELI – ME.

Fazenda Eucaflora – Rod. MT 130, km 45, Estrada de Santarém, 45 km, Paranatinga, de propriedade Tauá Biodiesel Ltda.

Fazenda Alan – Rod. MT 338, km 182, Vila Simioni, Itanhangá, de propriedade da Terra Viva Carvão e Reflorestamento Ltda.

Fonte: FolhaMax

Adolescente é internada após contrair bactéria ao compartilhar bomba de tereré

Maria Eduarda foi transferida de UTI aérea de Barra do Garças para Cuiabá

Adolescente Maria Eduarda, de 14 anos, moradora de Pontal do Araguaia (512 km da Capital), foi encaminhada em estado grave para o Pronto-Socorro de Cuiabá para dar continuidade ao tratamento de uma grave bactéria, supostamente, contraída durante o consumo de tereré (bebida gelada a base de erva-mate) com amigos.

Quando surgiram as primeiras complicações, adolescente ficou internada durante 15 dias em hospitais de Aragarças (Goiás) e Barra do Garças. Porém, na noite de quarta-feira (16), a família decidiu transferir a menina de hospital por meio de UTI aérea .

“Os rins começaram a paralisar e estava afetando outros órgãos. Diante disso, decidimos transferi-la para o hospital em Cuiabá, que tem mais condições de atendimento”, destacou Glaubia Silvia, tia da garota.

Ela contou ainda que a sobrinha contraiu a infeção logo após o Natal, em 25 de dezembro passado. A boca dela ficou inchada, cheia de feridas e mal conseguia tomar água. “Ficou a coisa mais esquisita”, completou Glaubia.

A tia revelou que a menina passou por sete médicos que não souberam diagnosticar de que forma a bactéria foi contraída. Foi apenas no oitavo profissional que surgiu a suspeita de que Eduarda tenha sido infectada por meio da bomba que é usada para beber tereré.

De acordo com Glaubia, novos exames vão apontar que tipo de bactéria atingiu a adolescente.

Os familiares também promovem uma festa na Feira Coberta do Pontal do Araguaia, com o objetivo de arrecadar fundos para custear o tratamento de Eduarda. Evento ocorre na noite desta sexta-feira (18), às 20h.

Perigo

Apesar de ser pouco divulgado, médicos alertam sobre a possibilidade de contágios de doenças como herpes e mononucleose infecciosa que podem ser transmitidas pela bomba compartilhada, por isso, a orientação é que cada tenha a sua.

Mononucleose também é conhecida doença do beijo, uma infecção causada pelo vírus Epstein-Barr, transmitido através da saliva, que provoca sintomas como febre alta, dor e inflamação da garganta, placas esbranquiçadas na garganta e ínguas no pescoço.

Fonte: RepórterMT

Anatel começa a bloquear celulares irregulares; proprietários receberão mensagens

Foto: Google Imagens

Celulares irregulares começam a ser bloqueados pela Anatel.

De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações, a medida vale para estados das regiões Centro-Oeste, Sul, Norte e Sudeste.

Os proprietários de aparelhos adulterados, roubados ou não certificados pela Agência dos estados do Acre, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Rondônia, Tocantins, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul vão ser notificados por mensagens.

A partir de domingo, eles serão informados que o celular está irregular e não funcionará em 75 dias, conforme estabelecido na Lei 9.472.

Importante lembrar que, de acordo com a legislação, todo aparelho celular usado no Brasil deve ser certificado ou ter sua certificação aceita pela Anatel.

No site www.anatel.gov.br/celularlegal dá para saber se há algum impedimento no aparelho que você tem ou que pretende comprar.

Para isso, precisa do IMEI, que é o número de identificação do celular. O IMEI vem informado na está na caixa do celular e em um adesivo que fica por trás da bateria.

Também é possível saber o IMEI do seu aparelho ligando *#06#. O número aparecerá na tela do seu celular.

Fonte: Rádio2

Bolsonaro tem condições clínicas estáveis, mas segue na UTI, diz boletim médico

Foto: Google Imagens

O Boletim Médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein, por volta da sete da noite desta segunda-feira, informa que o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro passou o dia em condições clínicas estáveis e fez fisioterapia, com caminhada e exercícios respiratórios, sem apresentar dor.

De acordo com a equipe médica, o candidato não tem febre ou outros sinais de infecção, mas continua em jejum oral, recebendo alimentação por via endovenosa.

O boletim reforça que Bolsonaro precisa passar por uma nova cirurgia para reverter a colostomia, quando a pessoa fica com parte do intestino exposto e usando uma bolsa para fezes. O procedimento será realizado no futuro em uma internação específica para isso.

Um novo boletim médico deve ser divulgado nesta terça-feira, às dez da manhã. Jair Bolsonaro foi vítima de um ataque à faca na última quinta-feira, durante um ato de campanha na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais.

Ele sofreu quatro lesões no intestino em decorrência da facada. O homem autor do ataque está preso no presídio federal de segurança máxima em Mato Grosso do Sul. A Polícia Federal investiga o caso.

Fonte: EBC

Alta dos fretes atrapalhou negociações da soja

Imagem créditos: Foto: Ivan Bueno

O analista de mercado Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica, afirmou que a poucos volumes de soja foram negociados na última segunda-feira (10.09), devido à alta dos fretes. Segundo ele, tanto as traders quanto os vendedores estão reclamando dos aumentos nos preços do frete.

“Está todo mundo reclamando da alta dos fretes para 2019, Tradings e Vendedores. Por isso, praticamente não saíram negócios nesta segunda-feira, a não ser pequenos lotes isolados e sem expressão.  Dos quatro fatores principais que compõe o preço da soja no Brasil o dólar teve queda de -0,26%, Chicago teve alta de 0,30%, os fretes complicaram muito e os prêmios permaneceram iguais em Paranaguá”, informa.

De acordo com Pacheco, as consequências das baixas negociações motivadas pelo preço do frete acabaram causando uma queda nas médias de preços estipuladas pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Ele afirma ainda que isso acabou gerando uma baixa movimentação nos portos e também no interior do país.

“Como consequência, as médias dos preços pesquisadas pelo Cepea nesta segunda-feira caíram 0,21% nos portos, para R$ 94,09 e 0,49% no interior, para R$ 87,25. No MS a semana começou devagar, com muito barulho e pouco fechamento. Foram negociadas cerca de 15.000 toneladas, a preços de R$ 83,00 na região de Dourados, pagamento 15 de novembro e R$ 92,50 para o porto, posto na ferrovia em Maringá. No PR mercado travado no início da semana, com o spread muito alto entre o que o vendedor pede e o que o comprador oferece”, comenta.

Quanto ao Paraná, o analista afirma que existe pouca disponibilidade no estado e a logística está entregando tudo em ritmo cadenciado. “O dólar não ajudou, a tabela de frete continua travando os negócios futuros e muita gente esperando o relatório do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos)”, finaliza.

Fonte: AgroLink

26 deputados investigados em diferentes esquemas disputam eleições em MT

Foto: Otmar de Oliveira

Dos 20 deputados estaduais que buscam a reeleição, todos já tiveram os nomes envolvidos ou citados em algum escândalo de corrupção ou improbidade administrativa.

O presidente da Assembleia, deputado Eduardo Botelho (DEM), é investigado pelo Ministério Público Estadual (MPE) suspeito de envolvimento no esquema de propina do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), que teria desviado mais de R$ 30 milhões dos cofres públicos e que foi investigado nas operações Bereré e Bônus, deflagradas pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco).

Ainda neste esquema estão os deputados Mauro Savi (DEM), que ficou 107 dias preso, Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD), Wilson Santos (PSDB) e Romoaldo Júnior (MDB). Todos foram denunciados pelo Ministério Público.

Nininho e Romoaldo Júnior também foram delatados pelo ex-governador Silval Barbosa. Já Wilson Santos, responde outras ações, como no caso do Rodoanel de Cuiabá, quando ainda era prefeito.

Silvano Amaral (MDB) e Wagner Ramos (PSDB), Dilmar Dal’Bosco (DEM) e Oscar Bezerra (PV) também foram delatados por Silval em uma possível tentativa de extorsão do ex-chefe do Paiaguás.

Já Pedro Satélite (PSD), Sebastião Rezende (PSC), Gilmar Fabris (PSD), Guilherme Maluf (PSDB) e Adalto de Freitas, o Daltinho (Patriota), estão na lista do ex-presidente da Assembleia Legislativa (ALMT), José Riva, que afirma um esquema de mensalinho no Legislativo desde 1995.

Já o deputado estadual Zeca Viana (PDT) é investigado em um esquema de desvios ocorrido na Assembleia Legislativa, por meio da emissão de notas frias.

Saturnino Masson (PSDB) também já foi citado em várias denúncias. Entre elas, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) autorizou a instauração de uma investigação criminal contra o deputado por suspeita de ter ocultado uma doação de campanha durante o período eleitoral de 2014. Ele também chegou a ser condenado pela Justiça por fraudes em inspeção sanitária no frigorífico Marfrig Alimentos S/A, localizado no município de Tangará da Serra. De acordo com a denúncia, Saturnino, então prefeito de Tangará permitiu que a administração municipal firmasse acordo em que o frigorífico era o responsável para pagar os salários dos fiscais de inspeção sanitária.

Max Russi (PSB) já foi condenado pelo Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE) a pagar multa no valor de R$ 4 mil por não fornecer informações sobre a execuções de obras no município de Jaciara, quando foi prefeito. Também responde uma ação por improbidade administrativa no mesmo período.

Já Valdir Barranco (PT) está em inquérito da Polícia Federal que investiga possível compra de votos no município de Itanhangá (a 523 Km da Capital) durante as eleições de 2014. As investigações estão sendo conduzidas pela Procuradoria Regional Eleitoral de Mato Grosso, com sede em Cuiabá.

Allan Kardec (PDT) também é investigado suspeita de compra de votos. Segundo a denúncia, haveria indícios de possível compra de votos e abuso do poder econômico praticado por Kardec, candidato não eleito ao cargo de vereador nas eleições municipais de 2016, sendo que o suposto esquema de corrupção beneficiaria também a candidatura de Emanuel Pinheiro.

Kardec era suplente de Emanuel Pinheiro na Assembleia Legislativa e acabou herdando a vaga com a vitória do peemedebista. Na época, foi expedido um mandado de busca e apreensão cumprido na casa de Allan e também no comitê de Emanuel. Os documentos apreendidos foram encaminhados ao Ministério Público, que requereu a remessa à Polícia Federal.

A deputada Janaina Riva (MDB) também está envolvida em uma ação cautelar fiscal junto com seu pai, o ex-deputado José Riva e sua mãe, Janete Riva. O processo é movido pela Fazenda Pública nacional por irregularidades tributárias. A deputada nega irregularidades e afirma que não administra as empresas citadas.

O deputado estadual Dr. Leonardo Albuquerque (SD), que disputa uma vaga na Câmara Federal, também é citado em uma operação da Polícia Federal durante às investigações da Operação Merenda Segura. Ele é suspeito de tentar embaraçar investigação na Secretaria de Estado de Educação (Seduc). O processo foi remetido ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

Deputados federais

Já em relação à bancada federal não é diferente. Nilson Leitão (PSDB), que disputa o senado, já foi considerado pelo site Congresso em Foco, como um dos 13 parlamentares com maior número de processos em andamento STF Supremo Tribunal Federal (STF).

Recentemente, Leitão foi acusado na delação do empresário Alan Malouf, como um dos beneficiados no esquema de propina e corrupção na Seduc, descoberto após a operação Rêmora, deflagrada pelo Gaeco.

Adilton Sachetti, que também desistiu da reeleição na Câmara Federal para disputar o senado, é investigado por crimes de responsabilidade e fraude em licitação.

Segundo as investigações, quando exercia cargo de prefeito em Rondonópolis (212 Km de Cuiabá), ele autorizou a venda de um terreno no Distrito Industrial da cidade.

Já Carlos Bezerra (MDB), Valtenir Pereira (MDB) e Ezequiel Fonseca (PP), foram todos citados por Silval em sua delação homologada pelo Supremo. Pereira foi citado por supostamente ter pedido cerca de R$ 6 milhões de propina de verbas federais destinadas para obras em Mato Grosso. Carlos Bezerra teria recebido R$ 1 milhão em propina por ter intermediado desapropriação de uma área no bairro Renascer, em Cuiabá.

Já Ezequiel Fonseca aparece nas gravações de Silval, colocando R$ 50 mil de mensalinho em uma caixa de papelão. Victório Galli (PSL) é investigado pelo Supremo Tribunal Federal no caso conhecido como “farra das passagens aéreas”.

De acordo com o inquérito entre 2005 e 2009, deputados negociavam com agências de viagens passagens da cota parlamentar. Esses deputados estariam usando a cota para viagens de parentes e amigos.

Fonte: Gazeta Digital

Correios são condenados a indenizar empregado de agência assaltada seis vezes

Foto: Reprodução

A juíza Mara Aparecida de Oliveira Oribe, da 8ª Vara do Trabalho de Cuiabá, condenou os Correios a pagar R$ 21.868,32 por compensação pelos danos sofridos por um de seus empregados, após a agência em que ele atua, na capital, ser alvo de seis assaltos. Em pelo menos três deles, o trabalhador estava presente e, na mais recente, foi agredido pelos bandidos e ameaçado com uma arma.

Ao ajuizar a reclamação trabalhista, o empregado relatou que trabalha para os Correios há 22 anos, mas desde que a empresa passou a prestar serviços como correspondente bancário, em 2002, as condições de trabalho passaram a não ser mais seguras em razão do montante de dinheiro circulando nas agências, sem que a estrutura física dos estabelecimentos fosse readequada para a nova realidade.

Contou também que além dos abalos psicológicos e do temor pela sua vida, não recebeu nenhuma assistência após os assaltos e a empresa tampouco investiu em melhoria na segurança da agência onde trabalha. Por fim, pediu a compensação de 50 mil reais pelos danos morais sofridos.

Os Correios, por sua vez, alegaram que os assaltos são fato de terceiro, portanto, de fora da relação contratual, alheio a sua vontade, e que a atividade de Banco Postal não pode ser confundida com atividade bancária, por se tratar de serviço público.

De início, a juíza Mara Oribe, titular da 8ª Vara do Trabalho de Cuiabá, salientou que, ao contrário desse último argumento, a demanda não trata de equiparação dos empregados dos correios aos bancários ou da atividade dos Correios com a bancária.

“O que se busca é analisar, em primeiro lugar, se a Reclamada exerce atividade empresarial que expõe seus empregados a risco superior à média da população, o que pode resultar na aplicação da responsabilidade objetiva, bem como se houve efetivo dano e nexo de causalidade”, explicou.

Ressaltou, em seguida, ser inegável o abalo moral sofrido pelo trabalhador em razão dos assaltos e, apesar de não ser possível apontar que eles ocorreram em virtude de negligência da empresa, por não terem sido adotadas novas medidas de segurança, trata-se, no caso, de responsabilização objetiva.

Nessa modalidade, conforme estabelece o artigo 927 do Código Civil, há a obrigação de reparar o dano “independentemente de culpa, nos casos especificados em lei, ou quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar, por sua natureza, riscos para os direitos de outrem”.

Por fim, a magistrada reconheceu que, em virtude do aumento de atribuições exercidas como correspondente bancário, em especial o recebimento de contas e depósitos, não há como negar o aumento na circulação de dinheiro nas agências.

Esse fator atraiu a atenção de criminosos, tornando a atividade de Banco Postal de risco, deixando os empregados desses estabelecimentos expostos rotineiramente ao perigo e, assim, gerando o dever de a empresa indenizar por eventuais danos provocados, independentemente de culpa ou ilicitude.

Entendimento semelhante tem sido adotado, conforme lembrou a juíza, tanto em casos julgados pelo Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso (TRT/MT), quanto pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Com base nos parâmetros para a quantificação das indenizações por danos morais estabelecidos pela lei 13.467/2017, conhecida como Reforma Trabalhista, ela avaliou a ofensa sofrida pelo trabalhador como grave e arbitrou a compensação em seis vezes o valor de seu último salário. O montante totalizou R$ 21.868,32, quantia considerada pela magistrada como suficiente a atender à reparação da vítima, sem gerar enriquecimento ilícito

Fonte: Olhar Jurídico

Secretaria de Saúde de Campo Verde realiza “Dia D” contra paralisia e sarampo no próximo sábado

Foto: Assessoria de Comunicação – Campo Verde

Como parte das ações da Campanha Nacional de vacinação, a Secretaria Municipal de Saúde de Campo Verde realiza no próximo sábado o “Dia D” de imunização contra a poliomielite (paralisia infantil) e o sarampo com todos as Unidades Básicas de Saúde funcionando das 8h00 às 17h00. É imprescindível a apresentação do Cartão de Vacinação.

O objetivo, de acordo com a enfermeira da Vigilância em Saúde, Patrícia Alcântara, é vacinar o maior número possível de crianças com idade entre 1 e 4 anos. A Campanha Nacional, realizada pelo Ministério da Saúde, vai até o dia 30 agosto. Em Campo Verde, 2.506 crianças devem ser imunizadas.

Para vacinar os filhos fora do “Dia D”, os pais devem leva-los às Unidades de Saúde da região em que residem munidos do cartão de vacinação.

Paralelamente à Campanha Nacional de Vacinação, a Secretaria Municipal de Saúde está realizando a campanha “Vacina Campo Verde”, direcionada à todas as faixas etárias e a todas as vacinas.

A multivacinação, de acordo com Patrícia Alcântara, vai até o dia 30 de dezembro em todas as Unidades Básicas de Saúde. “Nosso objetivo é manter a cobertura alta em todas as vacinas, por isso a realização dessa campanha”, informou.

Fonte: Assessoria de Comunicação